Abraji

Abraji

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Cabral demite subsecretário



enviar por e-mail
Ex-coordenador da Lei Seca que atropelou pedestres em Niterói é exoneradoEle ocupava o cargo de subsecretário da região metropolitana. Caso ocorreu na noite da última quinta-feira. Uma das vítimas morreu

* campos são obrigatórios
corrigir
Ex-coordenador da Lei Seca que atropelou pedestres em Niterói é exoneradoEle ocupava o cargo de subsecretário da região metropolitana. Caso ocorreu na noite da última quinta-feira. Uma das vítimas morreu

* campos obrigatórios
A Secretaria de Estado de Governo do Rio de Janeiro informou na tarde desta segunda-feira (29) que o subsecretário da região metropolitana e ex-coordenador da Operação Lei Seca, Alexandre Felipe Vieira, foi exonerado do cargo. Na noite da última quinta-feira, Alexandre atropelou quatro pessoas no bairro de Itaipu. Uma das vítimas, Ermínio Cosme Pereira, de 52 anos, que passava pelo local de bicicleta, sofreu traumatismo cranioencefálico e cervical e morreu. Uma mulher de 30 anos e seus filhos de dois e cinco anos de idade também foram atendidos. O ex-coordenador da Lei Seca será indiciado por homicídio culposo (quando não há intenção de matar). Em depoimento à polícia, Alexandre admitiu ter bebido meia taça de vinho antes do acidente. A Secretaria de Governo também exonerou Eloísa Helena Souza da Silva, coordenadora de uma das equipes de fiscalização da Operação Lei Seca. Ela autorizou a ida de um reboque da operação ao local do acidente em que o então subsecretário se envolveu (notícia do site IG).
O governador Sérgio Cabral (PMDB), agiu certo. Entretanto, pela notícia divulgada outros funcionários ainda poderão e deverão ser punidos. Que estória é essa de emprestar reboque para ex-colega? Debaixo desse "angú, tem caroço!" Afinal, quem são essas pessoas que estão no comando da Operação Lei Seca? Colocam "terror" psicológico nos motoristas, exigindo o cumprimento da Lei e que a documentação do veículo e a do condutor estejam em dia. Caso algo esteja irregular, não tem perdão. Multa e apreensão do veículo.
Eu já passei pelas "blitzes" do Lei Seca algumas vezes. Por duas vezes fui parado. Em ambas, vi pessoas desesperadas em plena Linha Vermelha, com os veículos apreendidos e sem ter condições para sair do local. Resposta dos agentes? "SE VIRA!". Lamentável a conduta destes ex-funcionários e mal exemplo. JÁ VÃO TARDE! Percebam no vídeo acima (Jornal da Record - Rede Record de TV), o seguinte detalhe: Vieira estava numa reunião política. Quem vai querer o apoio dele agora?  EU NÃO QUERO! HAHAHAHAHAHA! Estou disponibilizando a edição atualizada do Jornal Perfil Baixada.


Edição Atualizada
Clique na Imagem






segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Ceciliano votou contra os professores. Garotinho confirma informação


Manifestação dos professores e funcionários da Educação na Alerj (Blog Pessoas e o Tempo) 

Depois de votar contra os bombeiros militares, o suplente de deputado estadual, André Ceciliano (PT), o Caranguejo, volta a atacar. Desta vez, o "inimigo" do momento são os professores e funcionários da Rede Estadual da Educação. Membro efetivo do bloco governista na Alerj, para o "político", o que importa são os cargos comissionados, Ceciliano Caranguejo, pouco se importa se seus eleitores que trabalham na educação estadual, ficarão sem o aumento merecido no contra-cheque. Ceciliano Caranguejo, fez "amizades" com professores e funcionários em Japeri, onde sempre orientou que esses profissionais fizessem greve com o objetivo de ter seus reajustes dentro da Lei. Combinou com pessoas ligadas ao SEPE de Japeri, para que pressionassem o prefeito Timor (PSDB) e quem sabe talvez, paralizar a educação local. "Deu um tiro no pé"! Timor se reuniu com os sindicalistas e depois de conversar com a categoria, autorizou o aumento de 15%, aprovado pela Câmara Municipal. Ceciliano Caranguejo, sem graça com a disposição do prefeito Timor, sorriu amarelo, HAHAHAHAHAHA! No mandato temporário na Alerj, Ceciliano Caranguejo teve tudo a seu favor, afinal, não foi eleito e poderia fazer uma média com a categoria, aprovando o aumento de 26%, mas, preferiu agir contra os profissionais da educação e ajudou a aprovar os míseros 5% de reajuste. Poderia ter seguido o exemplo de seus colegas de partido, Inês Pandeló (líder do PT na Alerj), Gilberto Palmares, Nilton Salomão e Robson Leite (suplente como Ceciliano, mas, não enrola os professores). É como diz o ditado: "Faça o que eu digo. Não faça o que eu faço"! Fico imaginando a decepção dos professores que o acompanham  através das Redes Sociais. Muitos são diretores de escolas, professores, merendeiras e inspetores. Como pedir votos para Ceciliano? Compromisso? Só com la plata! Como sempre, estou disponibilizando as páginas do Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro, para que o que foi dito aqui, possa ser confirmado. Para ler o Diário Oficial, basta clicar na imagem. Estou disponibilizando também a informação divulgada hoje (16/08/11), no BLOG do deputado federal Anthony Garotinho (PR/RJ). 

 PARA LER, CLIQUE NA IMAGEM




BLOG DO GAROTINHO

A lista dos 34 deputados que votaram contra os professores
A lista dos 34 deputados que votaram contra os professores

Atendendo ao pedido de vários leitores está aí a relação dos 34 deputados estaduais que balançaram a cabeça para Cabral e deram as costas aos professores do Estado. Com certeza os professores e seus familiares, assim como no caso do bombeiros, vão se lembrar de quem votou contra eles, na hora em que aparecer pedindo voto.

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

A cidade que Max Lemos tenta esconder

video


Com o slogan: "O FUTURO JÁ COMEÇOU!", o prefeito Max Lemos (PMDB) esconde a real situação de abandono do município de Queimados, na nossa Baixada Fluminense. Na excelente reportagem que foi ao ar no SBT, a repórter Cláudia Ramos, contradiz a "modernidade" de Max Lemos, afirmando que a atual situação do transporte público em Queimados lembra "ar de interior" e "uma coisa das antigas", mesmo estando distante apenas à cinquenta quilômetros da capital. Como assim? O futuro não chegou, então? A realidade é que Max Lemos hoje se preocupa com o Distrito Industrial, que gera empregos e que também arrecada impostos e ainda com o Centro de Queimados. Quanto ao resto, na visão do prefeito, a impressão que fica é que as demais áreas são mesmo O RESTO! Assim como o abandono do transporte público, a área conhecida como "Cidade da Crianças", distante duzentos metros da Prefeitura Municipal é a imagem do abandono no município. Reproduzo aqui a matéria da jornalista Fabíola Ortiz e publicada no UOL Notícias. Confira:

Abandonada, Cidade das Crianças em Queimados 
voltará a ser uma estrada  


Em plenas férias escolares de julho, o pequeno Ronaldo da Conceição, 12, é um dos poucos que ainda frequenta a Cidade das Crianças, no centro de Queimados, na Baixada Fluminense. Na tarde da última segunda-feira (25), ele era um dos únicos a brincar na praça (a maioria dos pedestres que circula pela área de lazer usa o local apenas como corredor de passagem para cortar caminho). Não é para menos: na Cidade das Crianças não há brinquedos, nem escorregador ou pula-pula. Há apenas vestígios de um dia ter havido quiosques para vender lanches e ter sido ocupada por crianças.
Inaugurada no final de 2008, ano de eleições municipais, a Cidade das Crianças está completamente abandonada, apesar de ser uma das poucas áreas de lazer na pequena cidade que fica a 50 quilômetros do Rio de Janeiro e que tem 130 mil habitantes.
No local há apenas matagal, entulho dos quiosques que já foram demolidos, uma rampa de skate pichada sem uso, uma quadra esportiva abandonada, lixo e muros pichados.
“Aqui não tem nada para brincar, só dá para soltar pipa. Às vezes tem gente que joga bola lá na quadra. De noite aqui é muito perigoso, tem ladrão. Meu colega já foi assaltado e tem gente ‘fumando’ droga”, afirma o pequeno Ronaldo. Seu amigo Caio Almeida, 13, se juntou a Ronaldo para empinar a pipa, mas diz que não gosta de ir à praça. “Eu não gosto de vir aqui, não tem o que fazer e fica perigoso.” Ronaldo lembra que a praça costumava ficar cheia antigamente, há cerca de um ano. “Aqui já teve pula-pula, tinha também barraquinha de pipoca.” O bancário Valci Santana, 52 anos e que vive há dez próximo à praça, lamenta o estado da área de lazer. “O prefeito anterior resolveu fazer uma praça aqui. Foi muito bom no início, mas não conseguiu se reeleger e entrou um outro prefeito, que não deu continuidade ao serviço. Ficou abandonada, começou a ter roubo e depredaram”, disse ao UOL Notícias. “Em Queimados, falta lazer. Tem que ir para Nova Iguaçu, são 15 quilômetros de carro. Aqui mesmo não tem nada.”

Local deveria ser estrada, diz prefeitura


Segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura de Queimados, a Cidade das Crianças foi construída em “um local onde deveria ser uma estrada: a Estrada de Queimados”. Era uma via vicinal que ligava o centro de Queimados ao bairro de Engenheiro Pedreira, no município vizinho de Japeri. Por isso, o local está sendo “desmontado” e todo o material retirado do espaço foi catalogado e realocado para outras áreas da cidade. A demolição da praça começou a ser feita no início do ano. Em comunicado divulgado à reportagem, a obra realizada na época, pela gestão municipal anterior e que custou em torno de R$ 1 milhão, não obedeceu a regras necessárias de infraestrutura para construir um praça pública com “drenagem, cerca para crianças, arborização e estrutura de guarda municipal para garantir a segurança do local”.
A antiga estrada vicinal será retomada no local, mas a prefeitura afirma que tem um projeto para construir uma nova praça para os moradores. Num período de 60 a 90 dias, as obras devem começar. A nova praça, segundo a prefeitura, chamará “Alegria” e terá “quadra poliesportiva coberta, playground para as crianças, espaço de convivência para idosos, será arborizada, terá drenagem e segurança para a população”.
De acordo com a assessoria, o processo licitatório para as obras já começou há cerca de dois meses.
Entre os moradores ouvidos pelo UOL Notícias, entretanto, há falta de informação sobre os novos projetos da prefeitura. As informações, alega a assessoria, só serão efetivamente divulgadas após a conclusão do processo licitatório.

Vizinhos relatam descaso em praça


Marcos Paulo Mendes, 37, que tem uma filha de 3 anos, disse que não deixa a menina frequentar a praça atual. “Lógico que teria medo. Tem pessoas fumando, eu passei e já vi. De noite eu não passo por aqui não, a iluminação é precária também.” Mãe de três filhos, a dona de casa Lilian de Jesus, 32, afirma passar raramente pela praça. “Tenho medo porque agora ficou esquisito, não é mais aquela pracinha que a gente enchia os olhos. Até ano passado tinha muito movimento, agora não tem ninguém. Funcionava legal, tinha vendedor de pipoca. Eu vinha com meus filhos”, relembra. Lilian lembra que, antes da praça, havia uma rua com muito fluxo de ônibus. “Eu preferia deixar a praça para as crianças. Aqui em Queimados quase não tem nada para as crianças se divertirem”, finaliza.
Abaixo, disponibilizei duas fotos da internet. A primeira revela como era a Cidade das Crianças quando Max Lemos assumiu o mandato de prefeito de Queimados. A segunda atualmente como está a Cidade das Crianças. Hoje conhecida também como Cidade Abandonada ou ainda a Cidade do Crack. Lamentável... Esse é o futuro que chegou em Queimados e que Max Lemos tenta esconder da população!



Cidade das Crianças antes



Cidade das Crianças hoje.  


segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Riosampa terá que indenizar em R$ 15 mil por homofobia


A casa de shows Riosampa (Lanchonete Stop da Dutra Ltda.), foi condenada a indenizar em R$ 15 mil um de seus frequentadores. A decisão foi da 7ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio. Luiz Rocha Pinheiro foi ao local acompanhado de três amigos, onde começaram uma brincadeira com um cubo de gelo, que acabou em um beijo entre Luiz e um de seus amigos, ambos homossexuais. Por este motivo, relataram que foram abordados por seguranças da Riosampa de forma agressiva, com xingamentos, ameaças e foram expulsos do local. Segundo os seguranças agressores, a Riosampa não é local GLS. A Riosampa alegou que tal fato não ocorreu, que zela pelo correto trabalho da sua equipe de seguranças e que não permitiria este tipo de conduta, pois não seria compatível com o funcionamento da casa, que recebe freqüentadores de todo tipo de raça, credo, sexo e etc. A Riosampa também ressaltou que participa e apóia movimentos públicos homossexuais, como a Parada Gay de Copacabana e a de Nova Iguaçu.  O número do processo é: 0050710-95.2006.8.19.0038. Fonte: Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro.
A questão é a seguinte: O processo tramitou na justiça durante cinco anos e apesar da grana e dos advogados, a Riosampa não conseguiu provar que não tinha "culpa no cartório". Em sua defesa, a Riosampa declarou que é "uma casa comercial frequentada por ilimitado número de pessoas de todo tipo de raça, sexo, religião e etc..." Que é uma casa comercial, isso eu não tenho dúvidas, afinal, eu não me lembro quando a Riosampa participou de alguma campanha social em prol de alguém ou algo (se souberem me avisem, por favor). O que eu não entendi foi esse negócio de raça. Como assim, raça? Além da raça humana, outro tipo de raça frequenta esta casa de shows? Só a argumentação da defesa por si só, já é preconceituosa. Quanto a atitude dos seguranças, o estabelecimento é responsável pela conduta dos funcionários. Deveriam qualificar melhor os mesmos. A questão principal é a seguinte: Agredir clientes do estabelecimento é a solução para os problemas? Por que não "desenrolaram uma idéia"? Afinal de contas, quem são os homossexuais? São homens e mulheres, jovens ou não. Em alguns casos são pais, em outros mães. As vezes filhos e filhas. Poderia ter sido o filho ou filha de um leitor deste BLOG ou até mesmo a minha filha. A maioria dos gays são trabalhadores e como cidadãos, tem os seus direitos garantidos na Constituição Federal. Independente da opção sexual de cada um, devemos aprender a respeitar a todos. Achei justa a condenação da Riosampa. E para finalizar, gostaria de saber quando foi que a Riosampa participou de alguma campanha contra a homofobia? No processo não conseguiram provar que a Riosampa tenha participado algum dia que fosse... Como morador e trabalhador da Baixada Fluminense, lamento que este fato tenha acontecido aqui. Para o momento de reflexão, estou disponibilizando o vídeo com o jornalista Arnaldo Jabor.